0

Albrecht Dürer, 1471-1528

Posted by Marcio Parente on 1 de junho de 2015 in Grandes Mestres |
Auto-retrato_13 anos_Albrecht Dürer

Auto-retrato, 13 anos, Albrecht_Dürer

Matemático, físico, botânico, zoólogo, desenhista e pintor profissional alemão nascido na cidade imperial livre de Nürnberg, ou Nuremberg, introdutor da arte da representação gráfica em três dimensões, ou seja, em perspectiva, e considerado a figura principal da arte alemã do século XVI. Segundo filho do ourives Albrecht Dürer o velho, que tinha deixado a Hungria para se instalar Nürnberg (1455) e de Barbara Holper que teve nascido lá, aprendeu desenho com o pai e, precoce, aos 13 anos já pintou com qualidades um auto-retrato (1484), além da pintura de uma Madona. Foi educado em Lateinschule, em St Lorenz, e começou a trabalhar como desenhista de jóias para seu pai.

Seu pai o levou (1486) para o ateliê de Michel Wohlgemuth, produtor especial de retábulos de altar, a fim de aprender pintura e gravura em madeira. É desse ano seu primeiro quadro conhecido: um retrato de seu pai. Depois de um aprendizado de quatro anos, o aluno tinha alcançado um nível de qualidade artística superior ao do professor famoso e seu mestre o aconselhou que viajasse aumentar sua experiência e conhecer outros artistas.

São Jeronimo, 1492

São Jeronimo, xilogravura, 1492

Visitou os Países Baixos e depois a Alsácia (1490) e morou por algum tempo em Basiléia, na Suíça, onde fez a primeira xilogravura famosa, a São Jerônimo curando o leão, e pintou o famoso Auto-retrato com flor de cardo. De volta a Nuremberg, casou-se (1494) e viajou para Veneza, a fim de estudar a arte renascentista italiana. Na Itália, onde havia estilos artísticos muito diferentes, ficou tempo suficiente para desenvolver o próprio estilo e resolveu voltar para a Alemanha para contatar técnicas de outros artistas alemães.

Na volta passou por Nördlingen, Ulm, Colmar e Strasbourg, entre outras cidades, antes de voltar para sua Nürnberg (1520). Pintou retratos de importantes personalidades alemãs, como o de Frederico o Sábio, conservado no Museu do Prado, em Madri. Viajou novamente a Veneza (1505) onde pintou alguns de seus melhores quadros religiosos, como Jesus entre os doutores, Festa do rosário, Adão e Eva, um dos primeiros nus da pintura alemã. Esteve a serviço (1512-1519) do imperador Maximiliano I, de quem fez retratos e desenhos e fez sua última viagem (1520), desta vez aos Países Baixos, onde conheceu o novo imperador Carlos V e estudou as principais obras da pintura flamenga. De volta a terra natal, viveu os anos de sua vida entre o trabalho artístico e o teórico.

Pátio do antigo castelo em Innsbruck sem nuvens, 1494

Pátio do antigo castelo em Innsbruck sem nuvens, 1494

Pintou outros retratos e sua obra mais conhecida, Os quatro apóstolos, escreveu também dois livros sobre geometria e arquitetura e iniciou a redação de um tratado sobre pintura, do qual só completou a parte referente à anatomia humana, publicado postumamente sob o título Vier Bücher von menschlicher Proportion. Com a saúde abalada, ele dedicou os anos restantes de sua vida principalmente a escritas teóricas e científicas e ilustrações, embora vários retratos de caráter famosos e algumas gravuras de retrato importantes e xilogravura também datam deste período, e morreu na mesma Nürnberg onde nascera.

Em sua vasta obra consta a introdução da arte da representação gráfica em três dimensões, ou seja, em perspectiva. Foram notáveis A adoração dos magos (1496), as 15 gravuras em madeira de O Apocalipse (1498), a série de dezenas de gravuras A grande Paixão e A pequena Paixão (1498-1511), e outra série de trabalhos com gravuras: O cavaleiro, a morte e o diabo, São Jerônimo em sua cela e Melancolia (1513-1514). Além de um grande artista foi também um excelente matemático. Sua principal obra científica foi Unterweisung der Messung mit dem Zirkel und Richtscheit (1525), o primeiro texto matemático a aparecer em alemão.

Autorretrato de Dürer, 1498, Museu do Prado, Madrid

Autorretrato de Dürer, 1498, Museu do Prado, Madrid

De volta em Nuremberga, Dürer começou uma série de figuras religiosas. Muitos esboços e desenhos preliminares sobreviveram, mas não grandes pinturas. Isso se deve em parte ao declínio de sua saúde, mas mais por causa do tempo que gastou na preparação de seus trabalhos teóricos em geometria e perspectiva, proporções e fortificações. Embora tivesse dom natural para escrever, trabalhou duramente para produzir essas obras.

A consequência dessa ênfase nos escritos foi a pequena produção artística. Apenas três pinturas, um retrato de Hieronymus Holtzschuher, umaMadona com o Menino e dois painéis mostrando os Quatro Apóstolos: São João com São Pedro ao fundo e São Paulo com São Marcos ao fundo. Algumas gravuras em cobre, retratos basicamente, como o do Grande Cardeal, Frederico de Wise, Pirckheimer, Melanchthon e Erasmo de Roterdão, que contem a inscrição “Imago Erasmi Roterodami ab Alberto Durero ad vivam effigiem deliniata” e “ΤΗΝ ΚΡΕΙΤΤΩ ΤΑ ΣΥΓΓΡΑΜ ΜΑΤΑ ΔΙΞΕΙ” que pode ser traduzido por “Seus escritos dão uma imagem melhor do homem que este retrato”.

Contraiu uma doença indeterminada que se crê tenha sido malária — que o afligiria o resto da vida e reduziria o seu ritmo de trabalho.

A casa de Albrecht Dürer

A casa de Albrecht Dürer

Dois de seus livros foram publicados em vida: Instrução para medições à régua e ao compasso (Unterweisung der Messung mit dem Zirkel und Richtscheit), de 1525, e o Tratado sobre fortificações (Arcibus castellisque condendis ac muniendis rationes aliquot), de 1527. O livro Sobre proporção do corpo humano (Quatro livros sobre as proporções humanas) foi publicado logo após sua morte, em 1528. Faleceu com a idade de 56 anos. Encontra-se sepultado em Johannisfriedhof, Nuremberg, Baviera na Alemanha.

Selecionei 144 trabalhos de Dürer nas mais variadas técnicas para você conhecer um pouco da obra deste grande mestre renascentista. Se você quiser conhecer mais sobre o artista, clique aqui.

 

Albrecht-Dürer, Desenhos

Albrecht-Dürer, Aguadas

Albrecht-Dürer, Gravuras

Albrecht-Dürer, Xilogravuras

Tamanha é a importância deste grande gênio alemão do Renascimento no contexto histórico do desenho que uma das maiores fabricantes de materiais para desenho do mundo, a Faber Castell, o homenagiou colocando seu nome na linha de lápis aquareláveis. Se você gostou, compartilhe, pois ele merece todo o nosso reconhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2015-2018 desenhefacil All rights reserved.
This site is using the Desk Mess Mirrored theme, v2.5, from BuyNowShop.com.